Escolha uma Página

A mamografia é um exame de imagem em que, por meio de um aparelho chamado mamógrafo, são obtidas radiografias das mamas. Dessa forma, é possível detectar qualquer tipo de alteração nos tecidos da região, como lesões, calcificações e nódulos. A mamografia, portanto, é uma das principais armas para a detecção precoce do câncer de mama. 

Segundo o Instituto Nacional de Câncer (INCA), o câncer de mama é o segundo com maior incidência entre as mulheres, atrás apenas do câncer de pele. Ainda de acordo com o órgão do Ministério da Saúde, a estimativa de novos casos da doença em 2020 é de mais de 65 mil casos. 

Mesmo sendo muito importante, ainda pairam muitas dúvidas sobre a mamografia, o que pode afastar mulheres do exame clínico. Por isso, movimentos de conscientização como o Outubro Rosa são tão importantes, pois, além de auxiliarem na disseminação de informações sobre o diagnóstico precoce de câncer de mama, estimulam as mulheres a procurarem o exame de mamografia

Neste post, portanto, nós, do Blanc Hospital, vamos apresentar 4 curiosidades sobre a mamografia acompanhadas de mitos e verdades sobre esse exame fundamental para a saúde da mulher. Vamos conferir!?

 

1. Mamografia de rastreamento

A mamografia de rastreamento, ou seja, o exame realizado quando não há qualquer sintoma suspeito, tem uma enorme importância para a redução da mortalidade por câncer de mama, pois, além de ajudar no diagnóstico inicial, também pode permitir um tratamento  menos agressivo ao organismo. 

Portanto, aquela premissa de “não tenho casos na família, logo não preciso fazer o exame” é um mito! Além de não estar alinhado com a realidade, esse pensamento, infelizmente, é muito comum entre as mulheres. Ainda que os riscos de desenvolvimento do câncer de mama sejam maiores quando há casos pregressos na família, como na mãe ou na irmã, não significa que se está imune quando não há casos com proximidade familiar. Inclusive, segundo o INCA, o câncer de mama de caráter hereditário corresponde entre 5% e 10% do total de casos no Brasil apenas.

Da mesma forma, acredita-se popularmente que mulheres jovens não precisam fazer a mamografia, mas isso também é um mito! É verdade que a maioria das mulheres que desenvolvem câncer de mama estão em uma faixa etária a partir de 50 anos, no entanto a doença pode atingir pessoas mais jovens. A recomendação é que o exame de mamografia seja feito anualmente ou cada 2 anos entre mulheres acima de 40 anos e anual a partir 50 anos. Porém, a idade pode diminuir dependendo de fatores como hereditariedade, em que pode ser recomendado o exame para paciente em faixa etária mais baixa e com maior frequência. 

 

2. Câncer de mama masculino

Você sabia que homens também fazem mamografia? Afinal, também podem desenvolver câncer de mama. Porém, a incidência no gênero masculino é bem menor — cerca de 1% dos casos. Em caso de qualquer anormalidade na mama, no entanto, o médico pode solicitar um exame de mamografia para o homem.

 

3. Exames complementares

Além da mamografia, que demora poucos minutos para ser realizada, existem outros exames complementares que auxiliam no diagnóstico preciso de câncer de mama, como os testes laboratoriais, ultrassonografia, biópsia e ressonância magnética.

Ainda assim, vale lembrar que, por utilizar raio X ainda se pensa que a mamografia pode ser prejudicial à saúde. No entanto, o exame de mamografia utiliza pequenas doses de raio X, e o procedimento possibilita visualizar todos os detalhes das mamas. A radiação à qual a mulher é exposta é mínima, não causando, assim, qualquer prejuízo para saúde. Quando utiliza-se o mamógrafo digital, o uso de raio X é ainda menor em comparação aos modelos convencionais.

Porém, de fato, é verdade que a mamografia pode gerar desconforto. O mamógrafo, aparelho utilizado para realizar o exame, é composto por placas que comprimem as mamas, a fim de obter os melhores registros das radiografias. Quando são pressionados os seios, podem, sim, haver um pouco de desconforto em pessoas com sensibilidade maior. Porém, como o exame é rápido, eventuais desconfortos duram pouco minutos e acabam sendo insignificantes diante dos benefícios que um diagnóstico precoce pode propiciar para a saúde.

 

4. Exame acessível para todos

O Sistema Único de Saúde (SUS) realiza a mamografia em pessoas de qualquer idade, com solicitação médica, com preferência para mulheres a partir de 50 anos. Convênios e seguros de saúde, em geral, cobrem os custos do exame.

A importância do autoexame

Vale lembrar que o autoexame tem uma importância muito grande para que a mulher perceba qualquer tipo de anormalidade em seu corpo. É possível descobrir, através do toque, eventuais nódulos nas mamas. Porém, a prática não substitui a mamografia, na medida em que só detecta nódulos já formados, enquanto o exame em mamógrafo pode descobrir alterações ainda em formação. Portanto, são atos complementares importantes para a saúde da mulher.

A mamografia, sem dúvida, é uma grande aliada para um diagnóstico precoce e para um tratamento adequado contra o câncer de mama. Siga todas as orientações do seu médico em relação ao exame, realize o autoexame regularmente e esteja atenta a quaisquer alterações. Um reconhecimento adiantado da doença pode ser fundamental para uma recuperação rápida e eficaz! 

O Blanc Hospital também se engaja na união de esforços da campanha do Outubro Rosa, a fim de conscientizar as mulheres sobre a importância da prevenção e do diagnóstico precoce do câncer de mama! Gostou das nossas dias? Acompanhe o blog do Blanc para mais conteúdos sobre saúde e bem-estar!