Escolha uma Página

Anualmente, a Organização Mundial da Saúde e seus parceiros globais celebram o dia 31 de maio como o Dia Mundial Sem Tabaco. Nós, do Blanc Hospital, apoiamos a causa e por isso apresentamos a campanha neste post.

A data marca a luta contra o cigarro ao redor do planeta e tem por objetivo trazer um alerta à população sobre os riscos do tabaco, não somente para quem fuma, mas também para os fumantes passivos — que são expostos ao cigarro.

No Dia Mundial Sem Tabaco de 2019, a OMS tem como foco o “tabaco e a saúde do pulmão”. As duas questões fundamentais que serão trabalhadas são:

  1. O impacto negativo do tabaco para a saúde pulmonar, do câncer às doenças respiratórias crônicas;
  2. O papel fundamental que os pulmões têm para a nossa saúde e bem-estar.

Além disso, a OMS quer chamar a atenção e ser uma defensora de que existam políticas mais efetivas para redução do consumo de tabaco, engajando interessados em diversos setores para que lutem ao seu lado em prol do controle do tabaco.

No Brasil, a Fundação do Câncer lançou a campanha “importe-se com alguém além de você”, reforçando o impacto negativo que o cigarro tem para além do fumante. Segundo a fundação, a ação faz parte do conceito #EuMeImporto, assinatura que reforça a cultura de empatia e respeito pelo próximo.

dia-mundial-sem-tabaco-brasil

 

O tabagismo é uma doença!

É importante entender que o tabagismo é uma doença envolta de inúmeros fatores que levam à compulsão. A nicotina, presente nos derivados do tabaco, é considerada uma droga devido ao fato de possuir propriedades psicoativas. Isso significa que, quando inaladas, elas alteram nosso sistema nervoso central, modificando o estado emocional e comportamental do usuário, causando abuso e dependência.

“O quadro de dependência resulta em tolerância, abstinência e comportamento compulsivo para consumir a droga, estabelecendo-se assim um padrão de autoadministração caracterizado pela necessidade tanto física quanto psicológica da substância, apesar do conhecimento de seus efeitos prejudiciais à saúde.”

Por esses motivos, apesar de muitos fumantes terem o desejo de acabar com o vício, nem sempre é fácil fazê-lo. O Instituto Nacional do Câncer, através do Programa Nacional de Controle do Tabagismo, tem como foco divulgar informações que auxiliam no tratamento contra o tabagismo.

 

Como parar de fumar?

dia mundial sem tabaco

Para quem está decidido a parar de fumar e quer tentar sozinho, o Instituto Nacional do Câncer passa algumas orientações.

O primeiro passo é escolher uma data para parar, que será o seu primeiro dia sem cigarro. Pense nesse dia como uma ocasião especial não como um motivo de sofrimento. Portanto, programe algo que goste de fazer para que possa se distrair e relaxar. As chances de sucesso aumentam se você evitar ter cigarros por perto. Pare de fumar de duas formas: parada imediata e parada gradual.

O INCA sugere que a parada imediata seja sempre a primeira opção. Você escolhe a data e, nesse dia, para de fumar.

A parada gradual é feita em pequenos passos. Esse método pode funcionar de duas maneiras.

  • A primeira delas é reduzindo o número de cigarros. Você passa a contar os cigarros que fuma e vai diminuindo a quantidade a cada dia, até parar.
  • O segundo é adiando o seu primeiro cigarro do dia. Ao adiar a hora que você fuma o primeiro cigarro, deixando-a mais tarde a cada dia, eventualmente você vai chegar ao dia em que não fumará nenhum cigarro.

O INCA alerta que a parada gradual não pode ser mais longa de duas semanas no processo.

Caso você não evolua no processo ou sinta que não consegue parar sozinho, o Sistema Único de Saúde (SUS) oferece tratamento único para quem deseja largar o tabagismo. Acesse a página do Programa Nacional de Controle do Tabagismo e descubra os locais que oferecem tratamento na sua cidade. Na página de tratamento do programa, você encontra mais informações que podem ajudar quem deseja parar de fumar.

 

A luta contra o tabaco segue todos os dias

Segundo os dados do INCA, as ações educativas, legislativas e econômicas que estão sendo desenvolvidas no país estão resultando na diminuição da “aceitação social” do tabagismo e do número de pessoas que querem fumar, bem como está colocando em evidência a importância de que o tratamento do fumante seja priorizado como uma estratégia fundamental no controle do tabagismo.

Você ou alguém que você ama fuma? Use este link para ajudá-lo na luta contra o tabagismo.

Fontes: OMS, INCA, Fundação do Câncer.