Escolha uma Página

Assim como trouxemos no blog as campanhas de Outubro Rosa e Novembro Azul, não poderíamos deixar passar o Dezembro Laranja. Não sabe do que se trata a campanha? Então, continue lendo este texto em que entraremos nos detalhes para você. Confira!

Criado em 2014, o Dezembro Laranja é uma campanha da Sociedade Brasileira de Dermatologia (SBD), com o objetivo de fomentar a prevenção e o diagnóstico do câncer de pele. A época de “vigência” é em dezembro, momento em que estamos mais expostos ao efeito dos raios solares, mas a preocupação com a pele deve ser o ano inteiro.

Em 2018, o mote do Dezembro Laranja é “se exponha, mas não se queime”, e nós, do Blanc Hospital, apoiamos essa causa!

O câncer de pele é o câncer mais comum a atingir os brasileiros, representando 30% dos diagnósticos de tumores malignos no Brasil. Segundo dados do Instituto Nacional do Câncer (INCA), aproximadamente 180 mil casos são registrados anualmente. O tipo mais comum da doença é o câncer de pele não melanoma, que tem baixa letalidade, mas apresenta números muito altos de ocorrência.

 

Câncer de pele: a prevenção é o melhor remédio!

O câncer de pele é uma doença provocada pelo crescimento anormal e descontrolado de células que compõem o tecido da derme. A organização e disposição dessas células vai definir qual o tipo de câncer de pele.

Segundo o INCA, os fatores que aumentam o risco de câncer de pele não melanoma são: exposição prolongada e repetida aos raios ultravioletas, principalmente na infância e adolescência; ter pele e olhos claros; e ter histórico familiar ou pessoal da doença. Além disso, pessoas com sistema imunológico debilitado, bem como as em exposição à radiação artificial também configuram risco.

Para que a detecção precoce seja feita, você deve ficar atento a qualquer mudança persistente na pele — seja um nódulo, ferida que não cicatriza em até quatro semanas, mancha vermelha, nódulo ou ferida que sangra ou forma crosta.

Se notar qualquer uma dessas mudanças, procure um médico dermatologista, para que seja realizado o exame clínico, que pode ou não levar para a biópsia do tecido. Somente um profissional poderá fazer o diagnóstico da doença, e quanto antes for feita a detecção melhores serão as chances de tratamento.

Para o câncer de pele melanoma, tipo de câncer mais raro, agressivo e letal, mais comum em adultos de pele branca. Segundo o INCA, o melanoma pode aparecer em qualquer parte do corpo, pele ou mucosas, na forma de manchas, pintas ou sinais. A doença pode surgir da pele normal ou de uma lesão pigmentada. Na pele normal, se dá após o aparecimento de uma pinta escura de bordas irregulares acompanhada de coceira e descamação. Em casos de lesões pré-existentes, há o aumento no tamanho, alteração de cor e formato da lesão, que passa a ter bordas irregulares.

Os riscos do câncer de pele melanoma são exposição prolongada e repetida ao sol; exposição a câmaras de bronzeamento artificial; ter pele e olhos claros; e ter histórico familiar ou pessoal de câncer de pele.

A detecção precoce do câncer de pele melanoma é ainda mais importante, podendo ser feita por meio de exames clínicos, laboratoriais ou radiológicos em pessoas com sinais ou sintomas da doença. O diagnóstico precoce torna possível melhores resultados no tratamento da doença.

Segundo o INCA, há uma regra adotada mundialmente que é o ABCDE dos sinais sugestivos de tumor melanoma.

  • Assimetria: uma metade do sinal é diferente da outra;
  • Bordas irregulares: contorno mal definido;
  • Cor variável: presença de várias cores na mesma lesão (preta, castanha, branca, avermelhada ou azul);
  • Diâmetro: maior que 6 mm;
  • Evolução: mudanças observadas nas características tamanho, forma ou cor.

Essas mudanças podem não ser causadas pelo câncer, porém, a qualquer sinal estranho, procure um médico dermatologista.

A prevenção do câncer de pele, melanoma e não melanoma, é bastante simples:

  • Evitar exposição prolongada ao sol entre as dez da manhã e quatro da tarde;
  • Aplicar, antes de se expor ao sol, filtro solar com fator de proteção solar mínimo de 15 FPS;
  • Usar filtro solar labial;
  • Utilizar proteção adequada contra o sol: roupas, bonés ou chapéus, óculos com proteção UV, sombrinhas e barracas;
  • Procurar lugares com sombra.
Fonte: INCA

Para mais informações sobre prevenção e diagnóstico precoce, acesse.

Neste verão, cuide de você e daqueles que você quer bem. Proteja-se do sol e aproveite o melhor da estação!