Escolha uma Página

Entre as alternativas de tratamento contra a obesidade, o balão intragástrico é, sem dúvida, um dos procedimentos que mais geram dúvidas nos pacientes. Por isso, neste artigo, vamos contar com o auxílio do Dr. Guilherme Bassols, membro do comitê científico do Blanc Hospital, para explicar com todos os detalhes como funciona esse tipo de tratamento. 

O Dr. Bassols é especialista em cirurgia minimamente invasiva e em cirurgia bariátrica, tendo operado mais de 2 mil pacientes ao longo dos 10 anos em que trabalha com procedimentos cirúrgicos. Ele possui uma clínica multidisciplinar especializada em tratamento da obesidade chamada Clinobeso e atua em hospitais, como a Santa Casa de Misericórdia e o Moinhos de Vento. Além disso, recentemente passou a fazer parte do corpo clínico do Blanc Hospital

Você quer saber mais detalhes sobre como funciona a colocação do balão intragástrico? Acompanhe este post e fique por dentro do assunto. Confira! 

 

O que é o balão intragástrico

O Dr. Guilherme Bassols explica que o balão intragástrico é um procedimento bariátrico. Não é uma cirurgia, é uma técnica realizada por endoscopia, ou seja, sem nenhum corte. Através da boca do paciente, é feita a inserção de uma prótese de silicone preenchida com soro fisiológico dentro do seu estômago. 

Essa prótese, então, ocupa o espaço do alimento, permitindo que a pessoa submetida ao tratamento siga uma dieta mais restrita para perder peso. Além disso, vale ressaltar que o tratamento é feito de maneira particular, pois nenhum plano de saúde cobre os custos do procedimento. 

 

Perfil de paciente

O balão intragástrico é indicado para qualquer paciente que precise perder peso, desde a pessoa com sobrepeso até a com grau mais elevado de obesidade. “A gente sempre utiliza como parâmetro o índice de massa corporal. Todo paciente que apresentar o índice de massa corporal acima de 27 pode se beneficiar desse tratamento. O paciente que usa o balão intragástrico pode ficar com ele por até um ano. Nesse período, em média, os pacientes perdem de 15 a 20 quilos”, explica o Dr. Bassols

Segundo o médico-cirurgião, o balão intragástrico é um tratamento muito eficaz, moderno, minimamente invasivo, com baixíssimo risco e que não requer internação, afinal o paciente faz o procedimento em caráter ambulatorial. Obviamente, para que se obtenha um bom resultado, é necessário manter o acompanhamento com o médico e com a nutricionista. “Isso tudo a gente proporciona para o paciente”, conta o Dr. Bassols

 

Preparação para a colocação do balão intragástrico 

Inicialmente, o paciente faz uma avaliação com o médico-cirurgião e com a nutricionista, profissional que vai elaborar a dieta a ser seguida durante o uso do balão. Além disso, ele também consulta com uma psicóloga, a fim de conversar sobre esse momento de regime mais restrito e até para manter um acompanhamento. O paciente precisa ficar em jejum na noite anterior ao procedimento e, no dia, fazer uma dieta líquida logo após a colocação do balão. 

 

Conheça: http://blanchospital.com.br/blog/10-duvidas-frequentes-de-pacientes-candidatos-a-cirurgia-bariatrica/

 

Tempo de recuperação 

É tudo muito seguro: o paciente vem para o hospital, faz o procedimento sob sedação (anestesia geral não é necessária), fica 2 horas em recuperação e já pode ir para casa. Dois dias depois, pode voltar às atividades profissionais e às atividades físicas, sem nenhuma restrição. 

O balão intragástrico é um dispositivo colocado por via endoscópica e fica de 6 meses a 1 ano dentro do estômago do paciente. Nesse período em que o balão está dentro do indivíduo, é necessário que ele siga à risca uma prescrição de dieta e as orientações direcionadas à atividade física. “É importante entender que não existe mágica quando a gente fala em emagrecimento. O que existe é esforço por parte do paciente e o balão entra como um auxiliar nesse processo”, conta o médico-cirurgião.

Segundo o Dr. Guilherme Bassols, o balão facilita a realização da dieta. “Pacientes que colocam o balão sem o devido preparo e sem a devida consciência de que precisam fazer algo e não apenas colocá-lo podem não ter um resultado adequado”, avalia o médico.

Existem, de fato, pacientes que colocam o balão e não emagrecem ou emagrecem pouco, justamente porque acabam cometendo os mesmos erros de antes. Ou seja, o balão definitivamente não é uma mágica, mas, sim, uma excelente opção para quem quer um auxílio na perda de peso. 

 

Riscos

Como todo procedimento cirúrgico, o balão intragástrico não é isento de riscos. De acordo com o Dr. Bassols, os principais perigos que envolvem esse tipo de tratamento têm relação com a rejeição do organismo ao corpo estranho. “Alguns pacientes (em torno de menos de 1%) apresentam vômitos após a colocação e, em alguns casos, é necessária a retirada do balão antes do tempo de tratamento. No entanto, são casos muito raros”, relata. 

 

Segurança na colocação 

Além da necessidade de contar com o trabalho de um profissional especializado e com muita experiência, é preciso realizar o procedimento em um local seguro. “O conceito do Blanc Express tem tudo a ver com a ideia do balão intragástrico”, conta o Dr. Guilherme Bassols, referindo-se ao bloco cirúrgico do Blanc Hospital que serve para cirurgias e procedimentos rápidos e de baixa complexidade. 

“De todas as alternativas que eu tive até hoje em outros hospitais para fazer esse procedimento, a ideia do Blanc Express foi a que mais se adaptou”, revela o médico-cirurgião. Afinal, é um espaço em que os procedimentos são de curta duração e no qual os pacientes permanecem por um tempo curto, mas sem deixar de lado a segurança e o profissionalismo.

Gostou de conhecer mais detalhes sobre o tratamento com o balão intragástrico? Acompanhe o blog do Blanc Hospital e fique por dentro de mais conteúdos sobre saúde, cirurgia plástica e qualidade de vida!