Escolha uma Página

Iniciar um tratamento com quimioterapia nunca é uma tarefa fácil, afinal trata-se de uma intervenção terapêutica que pode ter diversos efeitos colaterais, entre eles fadiga, perda de cabelo, náuseas, infertilidade, entre outros. Este último é uma grande preocupação para mulheres que têm o desejo de engravidar. Porém, felizmente, existem alternativas para preservar a fertilidade pós-quimioterapia! Quer saber mais? Confira este blogpost especial Outubro Rosa que o Blanc Hospital preparou sobre o tema. Acompanhe!

 

Efeitos da quimioterapia na fertilidade

Como se sabe, meninas já nascem com todos os óvulos que liberarão no decorrer da vida, não havendo a chance de outros óvulos se desenvolverem. Tratamentos para o câncer, como a quimioterapia e a radioterapia podem danificar ou destruir os óvulos, folículos ovarianos e hormônios sexuais. Além disso, essa intervenção pode interromper o ciclo menstrual durante certo tempo, torná-lo irregular ou ocasionar a menopausa precoce.

Portanto, se você tem o desejo de engravidar, é importante conversar com seu médico para que, juntos, escolham um plano de tratamento que prejudique menos sua fertilidade. Também existem diversas técnicas que podem ser usadas, a fim de tal preservação no período pós-quimioterapia, como o congelamento de óvulos ou embriões e o transplante de ovário.

 

Congelamento de óvulos ou embriões

Essa é uma das técnicas mais tradicionais para preservar a fertilidade. O congelamento de óvulos ou embriões (óvulos fertilizados) é uma opção para garantir os óvulos, mesmo após o tratamento quimioterápico. Os óvulos são removidos cirurgicamente e combinados ao espermatozóide de seu parceiro (ou de um doador) em uma placa laboratorial. Conhecido como fertilização in vitro ou FIV, esse procedimento permite que os embriões sejam guardados, permanecendo congelados até que se precise deles.

 

Transplante de ovário

Também existe uma técnica experimental chamada de transplante de ovário ou banco de tecido ovariano. Nela, congela-se pedaços do córtex, a camada mais externa do ovário, armazenando o tecido congelado. Assim, é possível, depois de anos, reimplantar o tecido e estimulá-lo para a formação de novos óvulos, os quais podem ser usados de forma natural ou na fertilização in vitro.

É importante destacar que cada caso é um caso, e o impacto dos tratamentos para o câncer na fertilidade feminina tem relação com diversos fatores, como organismo, tipo e estágio do câncer, tipo e dose total de quimioterapia, local da lesão, bem como idade e o status de fertilidade da paciente. A recomendação do Blanc Hospital é que você converse abertamente com o seu médico e avalie o melhor tratamento para o seu caso. Neste Outubro Rosa, cuide da sua saúde, sempre lembrando de manter suas consultas e exames em dia. Cuide de você e conte com o Blanc Hospital.